Google+ Followers

3 de ago de 2016

COMPRA DE MÁQUINAS E EQUIPAMENTOS PARA A ADMINISTRAÇÃO CUIDAR DA MANUTENÇÃO DA NOSSA CIDADE


Destinei, através de emenda parlamentar, recursos para a compra de máquinas e equipamentos para a Administração de São Sebastião cuidar da manutenção da cidade, tanto na área urbana quanto na área rural. Ao mesmo tempo que solicitei da NOVACAP e do próprio governador Rodrigo Rollemberg a contratação de tratores e caminhões, através de licitação, para dar suporte à todas as Regiões Administrativas, inclusive a nossa. As fotos publicadas pela Associação do Morro da Cruz, onde mostra as máquinas trabalhando, é o exemplo de que as coisas nesse sentido começam a acontecer. Vila do Boa e Capão Cumprido também têm se beneficiado com esse tipo de equipamento.






Vejam, nas fotos acima, a relação de parte das máquinas e equipamentos que se encontram no pátio da Administração de São Sebastião;


  Créditos: as fotos da caçamba e do trator trabalhando foram retiradas da internet e sem valor comercial.

15 de abr de 2016

Porque sou a favor do impeachment de Dilma Rousseff e contra o sistema de governo que ela representa!

Deputado Distrital Lira (PHS)

Desde muito jovem luto por um Brasil melhor, mais justo e igualitário do ponto de vista econômico, social e político. Em 1983, mesmo não sendo republicano, fui para as ruas, juntamente com o povo, lutar pelas eleições “diretas já” para presidente da república por acreditar na liberdade expressão e em um futuro melhor para

a nação brasileira.

Em 1992 fui um dos caras-pintadas que ocupou a esplanada dos ministérios, em Brasília, para reivindicar o impeachment do ex-presidente da república, Fernando Collor de Mello que, à época, fora acusado de crimes de corrupção. Vários partidos políticos, dentre eles, o Partido dos Trabalhadores (PT), nos acalentavam com palavras de ordem em defesa da ética e da moral. Em todos estes momentos da história brasileira eu estive presente, sempre com muita determinação, coragem e orgulho, porque acreditava, veementemente, que estava fazendo a coisa certa!

Em outubro de 2003 votei em Luiz Inácio Lula da Silva para presidente da república, por afinidade com o seu discurso de inclusão social e também por entender que ele era a pessoa certa para governar o Brasil naquele momento. O seu primeiro mandato foi, de fato, um sucesso, porque manteve a inflação sob controle, reduziu o desemprego e valorizou o salário mínimo. Quanto ao seu segundo mandato já não posso dizer o mesmo, porque foi nele que teve início o mensalão, com várias pessoas de seu governo condenadas por crimes de corrupção, dentre elas, Marcos Valério, seu marqueteiro político de primeira hora!

Com o discurso de quem não sabia e nem viu nada em relação ao mensalão, Luiz Inácio Lula da Silva conseguiu emplacar, nas campanhas eleitorais de 2010 e 2014, Dilma Rouseff e, nas duas ocasiões, o povo brasileiro deu um voto de confiança a ele, elegendo-a presidente da República do Brasil por duas vezes consecutivas. Mas os problemas de corrupção no país, ao invés de diminuírem, se agravaram ainda mais com a crise do mensalão, petrolão e, agora, com a crise da Lava-jato. Todos estes escândalos deixaram os brasileiros perplexos e, por mais que tentassem entender, não conseguiam acreditar no que estavam vendo! De acordo com o poder judiciário, dezenas de bilhões de reais foram desviados dos cofres públicos para pagamento de propina a servidores públicos, parlamentares e membros do alto escalão do poder executivo, resultando, pois, numa crise econômica e política sem precedentes na história da república deste país.

A corrupção no Brasil vem se intensificando desde o golpe de Estado de 1889, liderado pelo então marechal Manuel Deodoro da Fonseca que, aproveitando-se da situação, destituiu o imperador Dom Pedro II e assumiu o poder no país. A monarquia brasileira foi, de fato, trocada pelo sistema de governo republicano presidencialista graças ao golpe de Estado realizado no dia 15 de novembro deste mesmo ano, pelos militares. Em 1964 veio o segundo golpe de estado onde, de um lado, estavam aqueles que lutavam pela implantação do comunismo no Brasil e, do outro, os militares que lutavam a favor da manutenção da paz e da ordem social! Apesar das inúmeras mortes ocorridas no conflito armado, a república continuou a mesma, mesmo depois do restabelecimento da democracia, salve algumas exceções.  Mas foi no dia 17 de março de 2014 que toda a sujeira republicana começou a vir à tona com a deflagração da operação ostensiva da Lava-Jato, onde foram cumpridos 81 mandatos de busca e apreensão, 18 mandatos de prisão preventiva, 10 mandatos de prisão temporária e 19 mandatos de condução coercitiva, em 17 cidades de 6 estados e o Distrito Federal. De lá para cá, a república tem estremecido a cada dia e sangrado a cada escândalo, ao ponto de colocar no olho do furacão a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente da república, Luiz Inácio Lula da Silva. Assim, de crise em crise e de golpe em golpe, o Brasil tem sobrevivido a trancos e barrancos, só não sei por quanto tempo, porque, vai chegar uma hora em que o gigante irá sucumbir à própria sorte, caso ninguém faça nada para impedir a sua destruição. Alguém que impeça a sangria do dinheiro público, preserve as nossas instituições e coloque em segurança o país em que vivemos, seja através das leis ou através de qualquer outro meio eficaz.

Quando ninguém mais acreditava na justiça, surge, no meio da escuridão, brasileiros natos, como o ex-presidente do Supremo Tribunal Federal, Joaquim Barbosa e o Juiz Sérgio Morro, do Paraná, para fazerem a diferença no poder judiciário e afirmarem, para todos os brasileiros, que ainda há esperança e uma luz no fim do túnel, quando colocaram na cadeia dezenas de empresários e políticos atrás das grades por crimes de corrupção e lavagem de dinheiro!

Os meios de comunicação nos trazem a cada dia, novas revelações bombásticas à cerca da corrupção que tomou conta da república brasileira. O Juiz Sérgio Moro vinha conduzindo as investigações da Operação Lava Jato normalmente até bater na porta do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e do palácio do planalto que, como já era de se esperar, reagiram negativamente contra as ações da justiça. O povo, indignado, foi para as ruas em apoio ao juiz Moro e exigir a prisão de todos os envolvidos. A presidente Dilma Rouseff ficou contra a justiça, contra a nação e a favor do Lula e seus apadrinhados, ao ponto de nomeá-lo ministro chefe da casa civil de seu governo para garantir-lhe foro privilegiado, como se ele estivesse acima da justiça e das leis. Na condição de eleitor de Lula e Dilma, me sinto traído, assim como a grande maioria dos brasileiros que votaram neles, nas últimas eleições, por pregarem uma coisa, durante a campanha e, depois de eleitos, fazerem outra! Principalmente agora quando tentam desencadear uma guerra civil no país simplesmente porque não querem ser investigados por crimes que, supostamente, tenham cometidos!

O pedido de impeachment contra Dilma Rousseff teve início bem antes de Lula ser acusado formalmente de alguma coisa, mas, tanto ela quanto ele, estão tratando do assunto como se fosse golpe de Estado e trazem para o campo ideológico e político assuntos de natureza jurídica e policial apenas para embaralhar a opinião pública, ao ponto de induzir sindicatos, políticos e alguns movimentos sociais ao erro. O Lula, ao invés de colaborar com a justiça e de se comportar na condição de investigado, deturpa os fatos, se faz de vítima e conclama a militância petista a saírem em sua defesa a qualquer custo e, de maneira insana, tenta colocar brasileiro contra brasileiro ao inflamar as ruas com o slogan “não vai ter golpe! ”, e, “em defesa da democracia”, como se fosse, esse, o caso! Não é a democracia que está em jogo, mas a própria nação brasileira que foi lesada em bilhões de reais segundo juristas que investigam a operação Lava Jato. Esses recursos precisam ser devolvidos ao erário público o mais urgente possível e os culpados por crimes de responsabilidade, presos ou afastados da política, independentemente de quem os tenha cometido! O golpe que eles tanto de se referem não passa de um pano de fundo para esconderem a sujeira republicana debaixo do tapete! Isso, sim, é golpe de Estado! Querer permanecer no poder às custas de mentiras e do derramamento de sangue inocente com a desculpa esfarrapa de que estão defendendo a democracia! Por isso defendo a constituição brasileira quando trata o faxineiro e o presidente do país como iguais perante a lei! Espero que, com o poder judiciário, aconteça a mesma coisa em relação aos investigados por crimes de corrupção!

A tentativa de interferência de Lula e Dilma nos poderes judiciário e político foi suficiente para inflamar as ruas e dividir o país entre “golpistas e não golpistas” como, também, fosse esse o caso! Representantes de movimentos sociais e políticos como o MST e PT, chegaram a declarar guerra civil ao Brasil caso aconteça impeachment da presidente da república Entre os apartidários de Lula e Dilma, tem aqueles que defendem a revolução bolivariana como forma de unir os povos da América Latina e estão aproveitando esse momento de fragilidade política no país para propagar tal façanha. Mas a quem interessa essa revolução no Brasil? Quem está por trás dela? O que, de fato, o país vai ganhar com ela? Alguém, por acaso, já pensou nas consequências de uma guerra civil? Apesar da corrupção que toma conta do país, é justificável pegar em armas nesse momento para defender conceitos chavistas? Porque não existe conflito armado sem derramamento de sangue inocente! Será que o povo está preparado para isso? Lutar contra o quê e a favor de quem? Há influências externas? E os líderes dessa revolução, quem são? Todos os detalhes precisam ser levados em consideração e todos os porquês também precisam ser respondidos antes de partir para o uso da força. Lutar, por exemplo, pelo fim do sistema republicano de governo no Brasil pode ser sim, uma justificativa plausível, porque a república já deu o que tinha que dar, mas pelo bolivariano não! O Brasil precisa de um braço forte para governa-lo e que, ao mesmo tempo, seja um exemplo para a nação em termos de civilidade e de respeito. Coisa impossível na atual república.

A revolução que os brasileiros precisam promover nesse momento é a da educação, dos valores morais e da ética, colocando-se no poder pessoas que tenham como foco a qualidade de vida da população!  Fala-se muito mal dos políticos mais, talvez, o problema não esteja apenas neles, mas na república que, na opinião de muitos estudiosos no assunto, está afundando o país em um mar de lama de corrupção e, junto com ela, quer levar todos os cidadãos brasileiros.

Concluo estas minhas palavras dizendo que, por muito menos, Collor de Mello foi afastado da presidência da república e, Dom Pedro II, do império. Por isso não se pode fazer vista grossa para os crimes de responsabilidade cometidos por Dilma Rousseff e, Lula, no caso da Lavo-Jato. Nenhum deles podem estar acima das leis e da justiça! E que é um erro confundir caso de polícia com ideologia política e, muito menos, ainda, tratar o impeachment como se fosse um atentado à democracia. Mas, infelizmente, grande parte de artistas e intelectuais brasileiros, a exemplo dos movimentos sociais ligados à esquerda, se deixaram levar pelas falsas palavras do ex-presidente da república ao ponto de se juntar a ele nas manifestações contra as investigações da Lava-Jato e contra o próprio impedimento de Dilma Rousseff. Sugiro, pois, para os brasileiros de bem, que vá às ruas neste domingo, vestidos de verde e amarelo, para apoiar a votação no plenário da Câmara dos Deputados, em Brasília, a favor do afastamento da presidente da república. Essa página precisa ser virada o mais urgente possível para que o nosso país volte a crescer e a nossa gente sorrir novamente!

Deputado Distrital Lira  (PHS)

29 de nov de 2015

Confira o que abre e o que fecha no feriado do Dia do Evangélico

Saiba quais serviços públicos estarão disponíveis e os horários de atrações turísticas em 30 de novembro












No feriado do Dia do Evangélico, 30 de novembro, alguns serviços públicos e pontos turísticos terão horários de funcionamento diferenciados. Unidades de saúde da rede pública, por exemplo, atenderão casos de emergência, e as delegacias de polícia, em regime de plantão.

A data é comemorada em Brasília desde 1995, quando foi instituída pela Lei Distrital nº 893. No mesmo ano, a Lei nº 963 transformou-a em feriado local.

Serviços Públicos
Saúde

Funcionam somente as emergências dos hospitais e as unidades de pronto-atendimento (UPAs) de Ceilândia, do Núcleo Bandeirante, do Recanto das Emas, de Samambaia, de São Sebastião e de Sobradinho, abertas 24 horas por dia. As unidades de saúde da família e os centros de saúde funcionam apenas em dias úteis.

Segurança

O cidadão que precisar registrar ocorrência policial durante o feriado deverá procurar as delegacias da Polícia Civil, que funcionarão em regime de plantão. Na terça-feira (1º), o expediente volta ao normal.

Transporte

Durante o feriado, vigorará a tabela de sábado (60% da frota nas ruas). De acordo com o Transporte Urbano do Distrito Federal (DFTrans), caso necessário, as empresas que circulam pela capital estão autorizadas a reforçar as linhas.

As bilheterias do Sistema de Bilhetagem Automática do DFTrans funcionam todos os dias, inclusive em fins de semanas e feriados. No Gama, abrem das 5 às 22 horas; em Santa Maria, das 5 às 19 horas; no Park Way, das 6 às 22 horas; e na Rodoviária do Plano Piloto, das 6 às 22 horas.

O Metrô-DF funcionará com horário especial, das 6 às 22 horas. Serão 18 trens nos horários de pico (das 6 horas às 8h45 e das 16h45 às 20h15) e 12 nos intervalos. A passagem custa R$ 4.

Banco de Brasília (BRB)

As agências estarão fechadas no feriado de segunda-feira (30). Na terça (1º), o atendimento é normal, das 11 às 16 horas.

Doação de sangue

A Fundação Hemocentro de Brasília não funcionará no feriado (30). A partir de terça, haverá atendimento normal, das 7 às 18 horas, até sábado. A instituição fica no Setor Médico-Hospitalar Norte, Quadra 3, Conjunto A, Bloco 3 (Asa Norte). Para mais informações, disque 160 e tecle a opção 2.

Postos do Na Hora

Os postos do Na Hora não funcionarão na segunda-feira (30), mas na terça-feira (1º), estarão abertos das 7h30 às 18h30. O Na Hora reúne, em um único local, serviços de órgãos públicos federais e distritais, tais como: emissão de carteira de identidade, consulta a processos do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e dos Territórios e retirada de segunda via de contas de água.

Procon-DF

Não haverá atendimento ao público na segunda-feira (30) no Instituto de Defesa do Consumidor do Distrito Federal (Procon-DF). Na terça-feira (1º), o horário de funcionamento será normal, das 8 às 18 horas. Mais informações pelo telefone 151. Veja a relação dos postos do Procon.

Secretaria de Fazenda

As agências estarão fechadas. O atendimento será retomado na terça-feira (1º), das 12h30 às 18h30. A central telefônica da secretaria (número 156, opção 3) não funcionará. Na terça, o atendimento volta ao normal, das 7 às 19 horas.

Quem precisar de consultas e serviços básicos, como impressão de segunda via de boletos para o pagamento de impostos e emissão de certidões negativas, poderá acessar o site da secretaria. Outras demandas, sobre o Nota Legal, por exemplo, poderão ser registradas no atendimento virtual, mas as respostas serão dadas nos dias úteis, em horário comercial, das 8 às 18 horas.

Shoppings populares

O Shopping Popular de Ceilândia, na QNM 11, estará aberto normalmente, das 8 às 18 horas. O de Brasília, ao lado da antiga Rodoferroviária, não funcionará no feriado (30).

Pontos Turísticos

Catetinho
Km 0 da BR-040, Gama

Estará aberto apenas de sábado (28) à segunda-feira, das 9 às 17 horas.

Entrada gratuita

3338-8803

Jardim Botânico de Brasília

SMDB, Área Especial, Lago Sul

Como em todas as segundas-feiras, estará fechado para manutenção.

Entrada: R$ 2

Para crianças de até 10 anos e adultos a partir dos 60, a entrada é gratuita.

3366-2141

Memorial dos Povos Indígenas

Eixo Monumental Oeste, Praça do Buriti, em frente ao Memorial JK

Funcionará das 10 às 17 horas.

Entrada gratuita

3344-1154

Museu Nacional da República

Setor Cultural Sul, perto da Rodoviária do Plano Piloto

Estará fechado para manutenção.

Entrada gratuita

3325-5220

Museu Vivo da Memória Candanga

Via Epia Sul, Lote D, Núcleo Bandeirante

Funcionará em horário normal, das 9 às 17 horas.

Entrada gratuita

3301-3590

Torre de TV

A visitação no mezanino é permitida das 9 às 20 horas e no mirante, das 9 às 19 horas durante todo o fim de semana e no feriado.

A Feira da Torre funcionará das 9 às 18 horas. O Café da Torre também abrirá das 9 às 20 horas. A praça de alimentação, até as 20 horas. A fonte luminosa está temporariamente desligada por motivos técnicos.

Torre de TV Digital

Estrada Parque Contorno, DF-001, Bairro Colorado, Sobradinho — subida para Sobradinho, após a Academia da Polícia Federal.

Estará aberta. As visitas ao mirante ocorrem das 9 às 18 horas.

Zoológico

Avenida das Nações (Via L4 Sul)

Abrirá normalmente no feriado, das 9 às 17 horas.

Entrada: R$ 10 (quem tem até 5 anos e pessoas com deficiência e o acompanhante não pagam. Idosos com 60 ou mais, estudantes, crianças até 12 anos, professores e beneficiários de programas sociais dos governos distrital ou federal, mediante a apresentação da carteirinha, pagam meia-entrada).

Bibliotecas

Biblioteca Nacional de Brasília

Setor Cultural Sul, perto da Rodoviária do Plano Piloto

Estará fechada.

Biblioteca Pública de Brasília

EQS 312/313

Estará fechada. Na terça-feira (1º), o funcionamento é das 7h30 às 18 horas.

Centros Culturais e Cine Brasília

Casa do Cantador

QNN 32, Área Especial, Ceilândia Sul

Estará fechado.

Telefones: (61)3378-5067 e 3378-4891

Centro Cultural Três Poderes

Praça dos Três Poderes

Reúne o Panteão da Pátria, o Espaço Lucio Costa e o Museu da Cidade.

Funciona todos os dias, das 9 às 18 horas.

Entrada gratuita

3325-6244

Cine Brasília

EQS 106/107

Estará aberto.

Veja a programação até 30 de novembro.

Ingressos: R$ 12 (inteira) e R$ 6 (meia-entrada)

3244-1660

Cartórios

De acordo com o Provimento Geral da Corregedoria do TJDFT, artigo 2º, Parágrafo 1º, não haverá expediente nos Cartórios do Distrito Federal nesta segunda (30).


Fonte: Jornal de Brasília / Agência Brasília

14 de nov de 2015

Quem criou Deus?




"De onde é que Deus vem? Quem o criou?"

Esta é uma pergunta frequente, e pode ser abordada de duas formas básicas.
A resposta mais direta é a fornecida pelas próprias Escrituras. E isso vai resolver o problema para aqueles que têm a confiança na credibilidade do Livro sagrado.

Em segundo lugar, no entanto, pode-se prosseguir a investigação por meio do processo de raciocínio lógico.

A Visão Bíblica

O ponto de vista a respeito de Deus que está estabelecido de forma consistente na Bíblia é este: Ele não veio de lugar nenhum. Ninguém criou o Criador do universo. Ele não teve princípio e não terá fim. Ele é o Eterno; o Ser auto existente.

Aqui está o que a Bíblia diz sobre quem criou Deus:

Deus é eterno
Deus é eterno na natureza (Isaias 40:28), o que significa dizer, ele é eterno como a sua própria essência (Romanos 16:26; 1 Timóteo 1:1). Sua existência é "de eternidade a eternidade"
Antes da criação material ser chamada à existência, ele sempre foi (Salmo 90:2).

Deus é auto existente
O Senhor se revelou a Moisés como o "EU SOU O QUE EU SOU" (Êxodo 3:14). Esta expressão "EU SOU" está relacionada com o nome hebraico para Deus, Yahweh (Senhor ou Jeová). Este era o nome mais sagrado para Deus.

O termo Yahweh ocorre mais de 6.800 vezes no Antigo Testamento. Acredita-se que a palavra é uma forma do verbo hayah, que significa "ser", em última análise, significa "o Eterno" ou "auto existente"

A existência de Deus não é derivada; ninguém o criou. Ele simplesmente sempre foi.

A Visão Lógica

A eternidade do Criador pode-se argumentar de outra maneira também. Considere a seguinte linha lógica de argumentação.

O universo deve ter sido criado por algo
Se já houve um tempo em que nada existia, então não haveria absolutamente nada hoje.
É uma verdade axiomática que, se nada existe, então "nada" será o caso - sempre, pois nada simplesmente permanece nada - para sempre! Nada mais nada é igual a nada.
Se não há absolutamente nada, mas nada, não pode nunca ser algo. "Nada" e "algo" - aplicado para o mesmo objeto, ao mesmo tempo - são termos que se excluem mutuamente.

Algo sempre existiu
Uma vez que é o caso de que algo existe agora, deve-se concluir logicamente que algo sempre existiu.
Vamos formular a questão de novo: Se nada não pode produzir algo, e ainda algo existe, então segue-se necessariamente que algo sempre existiu.
A questão torna-se então esta. Qual é esse "algo" que sempre existiu?

Um espírito não material ser eterno
Na lógica, a "lei do terceiro excluído", afirma que uma coisa ou é, ou não é. Uma linha ou é reta, ou não é reta.
Vamos aplicar esse princípio para o assunto em questão.
Algo sempre existiu. Esse "algo" deve ser de natureza material ou imaterial.
Se puder ser demonstrado que o eterno "algo" não é de natureza material, então deve seguir que o eterno "algo" não é de natureza material.
Outro termo para o "não material" seria "espírito".

A questão agora é - o que as evidências disponíveis revelam? É o caso que a "matéria" sempre existiu, ou que a evidência argumenta que o eterno "algo" não é matéria, ou seja, o espírito?

A matéria não é eterna
Os cientistas mais respeitáveis ​​do mundo admitem que a matéria não é eterna. Em seu livro, Until the Sun Dies, o Dr. Robert Jastrow, fundador do Instituto Goddard da NASA para estudos do espaço e um agnóstico professo, descreve sua percepção da criação inicial do universo.
Ele fala desse momento em que "as primeiras partículas de matéria aparece”, portanto, antes desse momento, a matéria não existia. Posteriormente, ele declara enfaticamente que "a ciência moderna nega uma existência eterna para o Universo?".

Não há uma partícula de evidência de que o universo sempre existiu. O próprio fato de que os cientistas tentam atribuir uma "era" para o universo está se revelando dentro de si.

Um não-material, espírito sempre existiu
Em vista do exposto - a saber que algo sempre existiu, e ainda que "algo" não é de natureza material - o estudante de lógica é irresistivelmente forçado à conclusão de que o "algo" que é eterno é não-material.

Esse algo eterno não material deve ser o espírito em sua essência.
As Escrituras identificam esse ser espírito como Deus. "Deus é espírito?" (João 4:24.) - Um Espírito eterno, não criado.

Ambos Escritura e lógica, então, em concerto maravilhoso, atestam o fato de que Deus é eterno. Ele não teve origem. Ele é o eterno EU SOU. Ninguém o "criou". Ele simplesmente é.

Fonte: Marcabote (site)

25 de out de 2015

A Festa do Rei Crixá será realizada em setembro de 2016, na cidade de São Sebastião, DF




Foto:  retirada da internet e sem valor comercial


O Folclore

Por volta do ano 200, antes de cristo, duas grandes nações que antecederam a nação brasileira guerreavam entre si por causa da disputa de territórios na América do Sul. De um lado a nação Macro-Jê e, do outro, a nação Tamoia, aonde chegaram a morrer pela espada, em um só dia, cerca de 20 mil guerreiros dos dois lados.
Após vários anos de batalhas o exército Macro-Jê, comandado pelo o Rei Crixá, conseguiu chegar a um acordo com o poderoso exército dos Tamoios e a paz, finalmente, foi selada entre eles, apesar do descontentamento de algumas pessoas.
Para comemorar o acordo de paz entre as duas nações o Rei Crixá, herói do povo Macro-Jê, resolveu casar a sua filha mais nova de nome Catarina. A princesa Catarina era, de fato, muito linda e apesar de já ter 20 anos de idade ainda não tinha namorado. Com o consentimento da filha o pai procurou um noivo entre os seus súditos para se casar com ela. Para isso, fez chegar a sua mensagem a todas as cidades e vilarejos do reino.
Conforme o comunicado real, os pretendentes teriam que preencher os requisitos básicos como, por exemplo, serem bravos, inteligentes e confiáveis a ponto de conquistarem o amor da princesa e a simpatia do soberano. Um dia depois de a notícia ter se espalhado o castelo foi cercado por centenas de fãs vindo de várias regiões do país.
O Rei Crixá, depois de ver a quantidade de candidatos, resolveu, então, realizar um torneio esportivo entre os participantes dividido em três modalidades: arco e flecha, hipismo rural e argolinhas. Era declarado vencedor o que obtivesse o maior número de pontos nas três provas. O vencedor, além de casar-se com sua filha mais nova seria nomeado chefe da guarda real e receberia, também, das suas mãos, um dote em barras de ouro.
De acordo com o regulamento cada guerreiro (cavaleiro) teria que confeccionar a sua própria vestimenta (fantasia) e, as três melhores, seriam premiadas. Os participantes seriam identificados por um número fixado nas suas próprias vestimentas e no peitoral dos cavalos.
Toda a realeza foi mobilizada para auxiliar na preparação do torneio e quando tudo estava sob controle deu-se, finalmente, inicio ao evento com a prova hípica, com os cavaleiros apostos e de acordo com o número de inscrição de cada um.
Terminado o torneio foi declarado vencedor o cavaleiro Kaykó, da nação tamoia, que conseguiu o maior número de pontos conforme o regulamento. E o Rei, eufórico, tratou logo de realizar a cerimônia do casamento.
Atentos às palavras do Rei Crixá, todos os membros da corte se alegraram com o casamento de Catarina e, de norte a sul do país, pessoas humildes do reino também se mobilizaram para homenageá-la. A princesa foi agraciada com mimos, flores, presentes e com demais bugigangas ofertadas pelo o seu povo. Cantigas, vestimentas e danças ritualísticas foram criteriosamente ensaiadas e preparadas especialmente para esta solenidade. Afinal de contas, tratava-se um grande acontecimento jamais visto em todo o reino!
Providenciou, então, uma arena toda enfeitada para a realização da festa. Enquanto alguns cantavam, outros transmitiam de forma poética os seus sentimentos aos noivos.
Um religioso foi chamado para oficializar o casamento e enquanto proferia as santas palavras referente ao matrimônio, eis que, de repetente, surge no meio da multidão um homem que, aos gritos, pediu para parar com cerimonia imediatamente. “Eu sou o verdadeiro vencedor, majestade, não a deixe se casar! ” Indagou, o forasteiro.
O Rei ficou estarrecido e, antes de falar qualquer coisa, Kaykó, o noivo, desembainhou a sua espada e partiu pra cima do desconhecido numa luta sem precedentes. Enquanto lutava, Kaykó perguntou para o tal homem qual era o seu nome e ele respondeu que se chamava Gyotoko, líder de um pequeno exército, da etnia Tolteka que, assim como os outros cavaleiros, também havia participado do torneio. Gyotoko acreditava que Kaykó fora desleal durante o torneio e por isso mesmo não merecia se casar com a princesa Catarina e muito menos receber o dote do Rei. Gyotoko, na verdade, estava mais interessado no trono do que no amor da princesa Catarina. De maneira desleal tentava despistar o seu adversário para levar vantagem.
A batalha entre os dois continuou por algum tempo, mas, ao perceber que o seu líder estava perdendo a luta o exército de Gyotoko, que se encontrava nos arredores do castelo, resolveu interferir, para salvá-lo. Mas logo foi derrotado pela guarda real do Rei Crixá e enviado para a masmorra. Passado o susto o religioso pôde dar continuidade ao casamento e os dois foram felizes para sempre!
As nações Macro-Jê e Tamoia, na altura dos acontecimentos, já haviam deixado de lado as lembranças da guerra para comemorarem em grande estilo a paz e o casamento patrocinado pelo o Rei Crixá, numa festa que durou vários dias.
Muitos anos se passaram e o Rei Crixá, já velho, fez suceder ao trono o seu filho primogênito que passou a se chamar Rei Crixá II, garantindo, assim, a continuidade da dinastia dos Crixás até o ano de 1.500, depois de cristo, época da invasão portuguesa no lugar de nome Porto Seguro, Brasil.
A Festa do Rei Crixá, como ficou conhecida entre os seus súditos, jamais foi esquecida pelo povo e, a cada ano, ela se repetia para manter vida, de geração em geração, a história do casamento de Catarina com Kaykó e o acordo de paz firmado entre Macro-Jês e Tamoios.






PROJETO TÉCNICO-FINANCEIRO DA 
II FESTA DO REI CRIXÁ
2016





Apresentação:

A Festa do Rei Crixá é uma atividade campestre, cultural, musical e popular, realizada pela primeira vez em 1994, na cidade de São Sebastião, DF, com o nome de Festa do Boi. Ela foi inspirada nos antigos habitantes das Américas do século 200 a.C., nas  Cavalhadas de Alagoas e na lenda do Cavaleiro da Meia Noite. A Festa do Rei Crixá surge com uma proposta diferente e inovadora que tem como tema principal o acordo de paz entre as nações macro-jê e tamoia e o casamento da Princesa Catarina. Nela, os brincantes procuram transmitir, através de alegorias e toadas, a história da cidade de São Sebastião e do Planalto Central.
A Cavalhada, aqui referendada, começa com uma cavalgada pelas principais ruas da cidade, tendo à frente a figura do Rei Crixá, a Princesa Catarina, a cavalaria real e os guerreiros que irão participar da competição, ao som da fanfarra. Depois a comitiva segue em direção a arena para a realização do torneio esportivo.
Faz parte da Festa do Rei Crixá, além das apresentações artísticas e culturais, o campeonato de arco e flecha, cavalhadas (guerreiros fantasiados que correm com os seus cavalos para retirar com a ponta da lança a argolinha pendurada numa haste), provas equestres, exposição agropecuária e as tradicionais barraquinhas com comidas típicas da região.
No decorrer dos três dias do evento as pessoas poderão cantar e dançar os mais variados estilos musicais. Desde a música folclórica regional a axé, forró e sertaneja. Tudo num clima alegre e contagiante. Os brincantes terão a oportunidade de participar do sorteio diário de vários prêmios, dentre eles, um boi de verdade, onde o ganhador poderá levar na hora para casa.
Para quem tiver a curiosidade de conhecer mais sobre a Festa do Rei Crixá, deverá procurar a Comissão Organizadora da mesma através dos números de telefones (061) 96661621 e 86353854 ou através do e-mail: lira.real@yahoo.com.br

Objetivo:

·         Resgatar a memória cultural do Brasil;
·         Promover o turismo e a cultura da cidade de São Sebastião e do Planalto Central
·         Promover a integração social e cultural dos cavaleiros do Centro Oeste;
·         Valorizar os artistas populares do Distrito Federal e do Entorno.

Público Alvo:

Será esperado, nos três dias do evento, um público aproximado de 80 mil pessoas, divididos entre todas as classes sociais: A, B, C, D e E.

Entrada Franca (Não haverá cobrança de ingresso).




Estratégia:

Para desenvolver a Festa do Rei Crixá, a MPB&I terá como plano de ação o seguinte:

a)      Criação de uma comissão organizadora para administrar os trabalhos junto à comunidade no que diz respeito ao cadastramento dos competidores do Torneio Esportivo: arco e flecha, prova do tambor, prova das argolinhas, escolha dos jurados, artesãos, feirantes, expositores, artistas locais, etc...;
b)      Conseguir apoio do departamento de artes cênicas da UNB – UNIVERSIDADE NACIONAL DE BRASÍLIA e dos alunos das escolas públicas e particulares de ensino médio e fundamental da cidade de São Sebastião de forma voluntária;
c)      Fazer parcerias com a iniciativa privada, órgãos públicos e rádios comunitárias locais;
d)     A campanha publicitária da Festa do Rei Crixá foi planejada estrategicamente para acontecer cinco meses antes da data oficial e será dividida em três etapas: 1) dia 25 de junho, de cada ano, no aniversário da cidade de São Sebastião; 2) No mês de agosto de cada ano, com a eleição da princesa Catarina e, 3) Faltando apenas 20 dias para a realização do evento far-se-á ampla divulgação através da imprensa, carro de som, panfletos, internet, faixas e cartazes que serão fixados nos principais pontos da cidade;
e)      Popularizar a FESTA DO REI CRIXÁ em todas as camadas da sociedade através, também, da participação efetiva de líderes comunitários e formadores de opinião.

Critérios de escolha da princesa Catarina:

A Comissão Organizadora da 4º Festa do Rei Crixá escolherá, através de concurso, uma jovem do Distrito Federal com idade entre 18 e 25 anos que queira ser agraciada com o título de princesa Catarina por um período de um ano. A vencedora do certame irá fazer o papel de filha do Rei Crixá, servir de relações públicas durante os três dias do evento e participar da campanha publicitária do mesmo junto aos meios de comunicação.
Para concorrer ao título de Princesa Catarina as candidatas terão que ter, obrigatoriamente, 18 anos de idade até a data do concurso, ser solteira, linda aos olhos do povo, desinibida, gostar de festas tradicionais e residir no Distrito Federal.
O Concurso Princesa Catarina terá eliminatórias em todas as cidades do Distrito Federal e a vencedora de cada região será a indicada para concorrer ao prêmio máximo, que é o recebimento do título de Princesa Catarina de 2016, premiação em dinheiro no valor de R$ 5.000,00 (Cinco Mil Reais) mais um final de semana em Natal – RN, com tudo pago. Para as que ficarem em segundo e terceiro lugares serão homenageadas com os títulos de Duquesa e de Condessa, respectivamente, mais premiação em dinheiro de R$ 1.500,00 (Hum Mil e Quinhentos Reais) e R$ 1.000,00 (Hum Mil Reais) pagos conforme grau de importância de cada título.

Este concurso também tem como objetivo valorizar as jovens belas e talentosas do Distrito Federal.
    
Critérios de escolha do Rei Crixá:

A Comissão Organizadora da 4ª Festa do Rei Crixá escolherá, através de concurso, um homem saudável e de bons antecedentes do Distrito Federal com idade entre 40 e 60 anos que queira ser agraciado com o título de Rei Crixá IV por um período de um ano. O vencedor do concurso irá fazer o papel de pai da princesa Catarina durante os três dias do evento e servir, também, de ícone do folclore local. Como recompensa receberá um prêmio em dinheiro no valor de R$ 5.000,00 (Dois Mil Reais).
Para concorrer ao título de Rei Crixá o candidato terá que gostar de festas tradicionais, ser uma pessoa simpática, alegre, ter entre 50 e 60 anos de idade, bons antecedentes, bom pai na vida real e morar no Distrito Federal há 5 anos, pelo menos.

Observação: Desde já fica descartada a participação de candidatos com perfil político.



PROGRAMAÇÃO


DIA: 07 de setembro de 2016 (quarta-feira)

9h - Concentração dos cavaleiros na esplanada dos ministérios;
9h 30m – Início da cavalgada saindo da esplanada dos ministérios até o Parque de Exposições Agropecuárias de São Sebastião;
12h 30m – Almoço dos Guerreiros;
16h – Apresentação da primeira fase do concurso das argolinhas; 
20h – 
21h – 
22h – 
00h – 

DIA: 08 de setembro de 2016 (quinta-feira)

9h – Atividades infantis: gincanas, pula-pula, algodão-doce, palhaço equilibrista, corrida do saco e cobra cega;
11h – Campeonato de Arco e Flecha
16h – Prova das argolinhas;
18h – Prova do laço, tambor e teaapening;
19h – 
20h – Danças folclóricas;
22h – 
23h – Sorteio de um boi
23h 30m – 

DIA: 09 de de setembro de 2016 (sexta-feira)

10h Apresentação artísticas do 1º Regimento de Cavalaria e Guarda dos Dragões da Independência (Grande Carrossel);
11h – Concurso de arco e flecha;
16h – Final do Concurso das argolinhas;
18h – Casamento da Princesa Catarina;
19h – Entrega dos prêmios pelas autoridades presentes;
20h – Danças folclóricas;
22h – 
23h – 

DIA: 10 de setembro de 2016 (sábado)

DIA: 11 de setembro de 2016 (domingo)

Observação: Programação incompleta e sujeita a alterações



FICHA TÉCNICA

TÍTULO:  Festa do Rei Crixá
Autor:  Ivonildo Di Lira
Realização:  Administração Regional de São Sebastião
Parceria: FIBRA, FECOMERCIO, rádios e jornais locais
Data:  07, 08, 09, 10 e 11 de setembro de 2016
Horário: Conforme programação em anexo
Local:  Parque de Exposições Agropecuárias de São Sebastião
Apoio: Projeto Lira Cultural, Ministério da Cultura e Secretaria de Estado da Cultura do Distrito Federal

COMISSÃO ORGANIZADORA DA 4ª FESTA DO REI CRIXÁ:

Diretor Executivo: Paloma Klermer
Vice Diretor Executivo:
Diretor Financeiro: 
Diretor de Provas Eqüestres (laço, tambor e teaampening): Valdinilson Tavares da Silva
Vice Diretor de Provas Eqüestres (laço, tambor e teaapening): Varnes Alves de Aquino
Diretor de Prova das Argolinhas (Cavalhada): 
Diretor de Prova de Rodeio: Jailson da Rápido Brasília
Diretor Jurídico: Dr. Cleiton
Diretor de Vaquejada e Locução: Joselino Vieira da Rocha
Conselheiro: Marcão do Centro Hípico do Lago Sul


ATLETA CONVIDADO

A ser definido


Justificativas:

Por ser Brasília a capital de todos os brasileiros, acolhe, em seu seio, além do poder, etnias, raças, religiões e pessoas de várias nacionalidades. Isso faz da capital do Brasil uma cidade diferente, charmosa e bastante diversificada culturalmente. Apesar da sua grandeza, falta-lhe uma cultura própria, algo que a eleve ainda mais do ponto de vista cultural e econômico. Mas não se pode pensar em Brasília, simplesmente, sem levar em consideração as suas cidades satélites e o entorno que, embora tenham alguma cultura popular, não chegam a ser tão representativas como gostaríamos.
A cidade de Parintins, por exemplo, no Amazonas, é conhecida internacionalmente por causa dos Bois Garantido e Caprichoso. E Recife, PE, também se tornou conhecida mundialmente por causa do Maracatu e do Frevo, e, assim, são as demais cidades brasileiras que valorizam o folclore local e as suas tradições. E o Distrito Federal o que é que tem para representá-lo? Simplesmente nada! Para não ficar atrás destas outras cidades é que se pensou na FESTA DO REI CRIXÁ como uma festa popular não apenas de São Sebastião, mas de todo o Distrito Federal.
Como podemos perceber o Distrito Federal carece de eventos culturais e artísticos regionalizados de grande porte capaz de estimular a criatividade das pessoas e contribuir com a integração social e cultural da comunidade. Com a valorização da nossa cultura popular, do folclore e da história dos povos que habitam o Planalto Central há centenas de anos, passaremos a ser vistos nacional e internacionalmente com outros olhos.
A Festa do rei Crixá é uma festa para todos! Ela se justifica pelo fato de agregar em torno dela várias culturas numa só, assim como Brasília, e, também, por existir em São Sebastião grandes artistas populares com uma cultura própria, passada de pai para filho ao longo dos anos, um patrimônio histórico inestimável, que data do século XVII e que precisa ser preservado pelo poder público.
Com a realização da Festa do Rei Crixá, governo e comunidade saem ganhando. Tanto pela preservação do folclore em si, quanto pelo desenvolvimento da economia local. Por outro lado, promover a cultura é preciso. Porque um povo que não tem cultura e nem acesso a ela, estará fadado ao fracasso material e espiritual.


Ivonildo Di Lira





Ivonildo Antonio Lira de Medeiros da Silva , que também assina como Ivonildo Di Lira


Copyright desta Edição:
MPB&I Promoções Artísticas Ltda., 1995
São Sebastião, Brasília – DF.
Tel. (061) 96661621  \  86353854
Todos os direitos reservados.




Dados de Catalogação na Publicação (CIP) Internacional

Da Silva, Ivonildo Antonio Lira de Medeiros
Festa do Rei Crixá \ Ivonildo Antonio Lira de Medeiros da Silva – 2ª Edição
- Brasília, DF: MPB&I PROMOÇÕES ARTÍSTICAS LTDA, 2011


Festa do Rei Crixá
Autor: Ivonildo Antonio Lira de Medeiros da Silva, que também assina como Ivonildo Di Lira
Editor: Ivonildo Antonio Lira de Medeiros da Silva
Arte: Iury Nascimento
Revisão: Paloma Klermer
Capa: Iury Nascimento



MPB&I PROMOÇÕES ARTÍSTICAS LTDA., 2011.
Brasília – DF.
Tel. (061) 96661621  \  86353854






11 de out de 2015

PLANTIO DE ÁRVORES E RECUPERAÇÃO DE NASCENTES EM SÃO SEBASTIÃO


Final de semana agitado com trabalho voluntário realizado em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR), Horta Comunitária Girassol e Administração Regional de São Sebastião com o intuito de recuperar as nascentes próximas ao bairro Morro Azul, São Sebastião, DF.
Foram plantadas cerca de 120 mudas de árvores típicas do cerrado que, ao longo dos anos, fará uma grande diferença ao meio ambiente.
Na ocasião anunciei a liberação de 210 mil reais, através de emenda parlamentar, para a construção do galpão da horta comunitária Girassol e a criação do Parque Ecológico e Vivencial Morro Azul como forma de preservar o meio ambiente e impedir que novas ocupações irregulares ocorram na região.
Desde já agradeço a participação das crianças e da comunidade em geral que participaram do evento ecológico realizado no sábado (10) que, para mim, foi muito gratificante.





26 de jun de 2015

PEDIATRAS PERMANECERÃO NA UPA DE SÃO SEBASTIÃO



Hoje me reuni com o Secretário de Saúde do Distrito Federal, João Batista de Sousa, para cobrar explicações sobre a possível retirada dos pediatras da Unidade de Pronto Atendimento de São Sebastião (UPA). Ressaltei a necessidade desses médicos na cidade devido à alta demanda por atendimento pediátrico. Além de manter os profissionais, pedi que aumentasse o número deles para que a população seja melhor assistida. Também destaquei a carência de cardiologista, ginecologista e clínico geral no Centro de Saúde.

O secretário assumiu o compromisso de não desativar a pediatria e declarou que vai aumentar a quantidade de pediatras até o final de julho. “Não vamos fechar, quero reforçar”, afirmou João Batista. Além disso, ele declarou que vai dar uma atenção especial, ao longo do ano, para o Centro de Saúde.

E saí da reunião deixando acertado o projeto básico do Hospital de São Sebastião. Dentro de alguns meses, a Secretária estará apresentando o projeto com, no mínimo, 250 leitos.

Deputado Lira 
‪#‎TrabalhandoPeloPovo‬

13 de jun de 2015

Deputado Lira intermedia empréstimo de R$ 500 milhões de reais para investimentos em São Sebastião

Deputado Distrital Lira e Boris Enrique Utria, Coordenador Geral de Operações do Banco Mundial (BIRD)

O deputado distrital Lira (PHS) esteve reunido com o Vice-Presidente e Coordenador Geral de Operações do Banco Mundial (BIRD), Boris Enrique Utria, na manhã de terça-feira (9), para tratar de um empréstimo da ordem de R$ 500 milhões de reais para serem investidos em obras de infraestrutura e saneamento básico em São Sebastião. Os bairros beneficiados com esse empréstimo, caso seja aprovado, serão Morro da Cruz, Capão Cumprido, Zumbi dos Palmares, Crixá, Bora Manso, Vila do Boa, Itaipu, João Cândido e São Gabriel.

Esta visita marcou o início das negociações entre o Banco Mundial e o GDF que contará, ainda, com o aval de Rodrigo Rollemberg. O deputado Lira, como principal ingressado, fará o papel de mediador entre as duas partes e, segundo ele, irá se encontrar com o governador, dentro de poucos dias, para tratar do assunto.

De acordo com Lira, essa é a região com maior probabilidade de crescimento a curto e médio prazo mais, para isso, precisa de investimentos governamentais. “Como sempre falei, pretendo urbanizar a cidade de São Sebastião de ‘fora para dentro’. As áreas a serem beneficiadas com os recursos do Banco Mundial sempre foram esquecidas e discriminadas por governos anteriores. Como parlamentar, quero ajudar os moradores corrigindo os erros do passado”, enfatizou.


Para Utria, os investimentos deverão ocorrer em breve. “Temos muito interesse de voltar a investir no DF. Já estive com governador Rollemberg no início deste ano, onde coloquei o banco à sua disposição, e espero retomar o diálogo agora, através da sua pessoa. Queremos ajudar na Gestão Pública para que as contas do Distrito [Federal] sejam equilibradas”, explicou.